Técnica one step revoluciona lipoaspiração a laser

Publicado em: 10/04/2019 20:11 Atualizado em: 10/04/2019 20:23
Diario de Pernambuco clique aqui

Menor tempo de recuperação e potencial de aproveitamento das células existentes na gordura para regeneração corpórea. Uma nova tecnologia que chegou no fim do ano passado em Pernambuco pretende revolucionar o mundo da lipoaspiração. Desenvolvida pela empresa brasileira DMC e baseada em estudos realizados no Peru e Estados Unidos, a técnica chamada one step utiliza uma frequência de luz capaz de retirar, além do tecido adiposo, células-tronco mesenquimais do corpo. Isso permite que a gordura possa ser extraída, processada e reinjetada no organismo para fins estéticos como preenchimento facial e tratamento de calvice.

A one step permite que o laser possa ser utilizado como uma ferramenta adicional para a extração da gordura e das células mesenquimais, um tipo raro de células-tronco multipotentes conhecida pelo alto poder regenerativo de tecidos e órgãos lesados. “No último ano, iniciamos um projeto em parceria com o médico Patricio Centurion, que pesquisou um comprimento de onda que estimula as células da gordura, criando uma espécie de fricção que a desprende do tecido conectivo. Com isso, conseguimos obter as células-tronco dessa gordura desprendida”, explicou o diretor nacional da DMC, Marcos Nogueira. De acordo com ele, o Instituto do Coração (Incor) iniciou uma pesquisa para validar o processo e a qualidade celular do material retirado com foco na regeneração do músculo em pacientes que sofreram infarto.

“O que temos na mão hoje é um avanço grande para as futuras gerações, para diversos tratamentos em medicina regenerativa”, explica ele, evidenciando o potencial num horizonte de longo prazo para a ferramenta. A princípio, o foco do uso tem sido a lipoaspiração e finalidades estéticas. A lipoaspiração é uma cirurgia indicada para tratar acúmulos de gordura em várias partes do corpo, mas não para tratamentos de obesidade. É um tipo de procedimento ideal para pessoas que fazem exercícios físicos, mantêm uma vida saudável e mesmo assim acumulam gordura em partes específicas. Em geral, a cirurgia gera inchaços, manchas roxas no corpo e requer um tempo de recuperação que pode durar até mais de um mês. O one step promete reduzir essas consequências. “É possível desprender as células de gordura sem causar nenhum tipo de destruição da derme”, afirma Marcos. Até agora, dois médicos foram treinados para uso da tecnologia no Recife, segunda capital do país a colocar esse tipo de laser no mercado. “ A lipoaspiração é um método consolidado, com bons resultados. Portanto, o one step só iria agregar valor uma tecnologia que mudasse a maneira de a gente fazer e trouxesse benefícios claros para o paciente. Ainda não dá para ter uma conclusão totalmente formada, mas o laser parece promissor”, afirmou o membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica Marco Kitamura, um dos dois médicos treinados em Pernambuco.

RECUPERAÇÃO
Com o uso da tecnologia, a promessa é reduzir, em alguns casos, o tempo de retorno às atividades cotidianas a até 48 horas após a operação, já que o laser libera opioides endógenos que diminuem o potencial de inflamação. “Também percebe-se que é possível chegar a algumas partes do corpo que a curetagem tradicional não consegue, em função da dor associada. O laser modula com menos chances de traumas”, afirmou o sócio-diretor da Actmed Demerval Monteiro.